dois ouvidos e uma boca

composta em 2008 numa viagem a São Paulo, com uma levada na tradição dos rocks funkeados de Gilberto Gil; gravada em Curitiba em 2018, em par com “qual é a música?” – ambas falando sobre a necessidade humana de se abrir, se expressar, comunicar.

dois ouvidos e uma boca
[Dimitri BR]

dois ouvidos e uma boca
o homem tem
e se tem é pra se usar

e a contagem já indica
faz muito bem
mais ouvir do que falar

dúvidas e medos mil
toda a gente tem
só não vê quem não quer olhar

olhe à sua volta e aposto
que vai ver alguém
querendo conversar

(então)

fale, fale, conte pra mim
ouça, ouça, conto contigo
fale, fale, conte pra mim
ouça, ouça, sou teu amigo

dois ouvidos e uma boca
a gente tem
isso é fácil de se notar

fale muito e ouça mais
é fácil também
dois a um, já diz o placar

dores e alegrias mil
toda a gente tem
nem adianta querer negar

não negue a si mesmo o alívio
e o prazer que vêm
de se compartilhar

(então)

fale, fale, conte pra mim
ouça, ouça, conto contigo
fale, fale, conte pra mim
ouça, ouça, sou teu amigo

da simples ação de você formular
em voz alta o seu dilema
pode vir a semente que depois vai germinar
na solução do seu problema

(fale ouça fale ouça
ouça fale ouça fale
ouça!)


voltar para canções